in

CPI da Covid decide retirar do relatório final crime de genocídio contra Bolsonaro

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia - Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

A CPI da Covid-19 decidiu retirar do relatório final o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro pela prática de suposto crime de genocídio de indígenas e por homicídio qualificado.

A decisão foi tomada pelo grupo majoritário da Comissão, mais conhecido como G7 – grupo de parlamentares de oposição e independentes em relação ao governo federal-, durante jantar na casa do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

“O genocídio não era consenso, não havia consenso de ninguém, entre juristas não havia consenso. Entre nós senadores, eu mesmo disse que tinha que ser convencido. O mais importante dessa reunião é que saímos unificados”, afirmou o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM).

No entanto, apesar da retirada da referência ao crime de genocídio de indígenas, deve constar na versão final a previsão de indiciamento por crime contra a humanidade, uma solução encontrada pelos integrantes da comissão.

Além disso, a retirada do indiciamento por crime de homicídio qualificado, deve constar na versão final o crime de “epidemia com resultado de morte”.

O relatório final, que será lido por Renan Calheiros (MDB-AL) em sessão marcada para 10h00 desta quarta-feira (20), está sendo muito aguardado pela imprensa, jurídicos e políticos. Acompanhe ao vivo no link abaixo:

Escrito Por

Editor-chefe do Portal do Trono. Cristão, jornalista e empreendedor de BH/MG. Amante da arte, comunicação e jornalismo. Pronto para servir o povo cristão com excelência.

Gangue pede US$ 17 milhões por resgate de missionários sequestrados no Haiti

Nasce Bela, primeira filha da cantora gospel Camila Campos