in

Evangélicos criticam Burger King e promovem boicote à marca

Imagem com crítica à campanha do Burger King - Imagem/Reprodução

Após o lançamento de uma campanha publicitária para comemorar o Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+, o Burger King recebeu milhares de críticas, principalmente dos evangélicos, após a empresa usar crianças para falar do assunto. Vários pastores e cantores gospel usaram suas redes sociais para se posicionar contra a propaganda publicitária e promoveram boicote à marca no decorrer desta sexta-feira (26).

O Burger King está sendo acusado de usar crianças para promover a ideologia de gênero. A empresa quis mostrar, através do olhar das crianças. Mas, a campanha foi duramente criticada, porque não trouxe profissionais dando dicas de como tratar o assunto com os pequenos, já que a foi intitulada “Como explicar?”. No lugar dos adultos, a empresa mostrou a perspectiva infantil quanto ao assunto.

Após a divulgação do vídeo para promover a data do Orgulho LGBT, diversos líderes evangélicos protestaram nas redes sociais contra a campanha publicitária. Dentre eles os pastores Lucinho Barreto, Josué Gonçalves, Claudio Duarte e Marco Feliciano. Veja abaixo a posição de cada um deles:

“Não toque nas nossas crianças que nós boicotamos mesmo!!! Da um like se vc concorda”, disse o pastor Lucinho Barreto.

“Nós cristãos não somos homofóbicos, respeitamos a decisão que os adultos tomam quanto a sua opção sexual, porém, reprovamos usar as crianças para propagar aquilo que Deus reprova. Se você é contra esse comercial do Burger King usando a inocência das crianças para promover a “ideologia de gênero ”, deixe seu comentário aqui e marque duas pessoas”, afirmou o pastor Josué Gonçalves.

“Tudo pela publicidade, visibilidade, ganho econômico. Pra mim isso não tem haver com justiça e sim com vingança. Escutem o grito da dor. Deus abençoe e tenha misericórdia de todos”, escreveu o pastor Claudio Duarte.

“Minha crítica não é ao apoio a comunidade, minha crítica é por usarem a inocência das crianças em prol da lacração e do oportunismo do chamado mês do orgulho! Não terão mais nenhum centavo meu”, disse o cantor gospel Israel Salazar.

“Amar não é o mesmo que compactuar com a injustiça. Amar não é sinônimo de aprovação de conduta. O que estão fazendo com as crianças é injusto e cruel. Deixem nossos filhos e netos em paz! Burger King não mais”, disse a cantora gospel Eyshila Santos.

Confira mais manifestações nos links abaixo:

https://www.instagram.com/p/CQjIEMZjmtR/

Publicidade

Burger King usa crianças em campanha LGBT e revolta a web

Morre o cantor gospel Júnior Lira, vítima da Covid-19