in

Justiça decide não punir pastor denunciado por assédio em igreja de SE

Lucas Abreu e Luiz Antônio - Foto: Reprodução/Instagram

Dois pastores evangélicos da Igreja Quadrangular de Sergipe foram indiciados pela Polícia, em maio deste ano, por crimes sexuais contra mulheres que frequentavam a instituição. Mas, duas das quatro denúncias a um dos acusados foram extinguidas pela Justiça, isso porque foram feitas fora do prazo de seis meses após o ocorrido.

Publicidade

A Polícia Civil do estado de Sergipe havia denunciado os pastores Luiz Antônio e Lucas Abreu, da Quadrangular em Sergipe. O motivo seria crimes sexuais contra mulheres da Igreja. Os dois são pais e filhos.

O pastor Lucas foi indiciado por estupro de vulnerável e assédio sexual contra quatro mulheres, sendo que duas delas, à época do crime, tinham 13 e 15 anos. Já o pastor Luiz foi indiciado por violação sexual mediante fraude contra sete mulheres. Segundo a PC, as investigações começaram em março depois que algumas mulheres registraram queixa na Polícia. 21 pessoas foram ouvidas, incluindo os pastores.

Publicidade

DECISÃO DE EXCLUIR DENÚNCIAS

Segundo Portal G1, ao analisar os caso, a Justiça de Sergipe extinguiu a punibilidade de duas das quatro denúncias de abuso sexual. Isso porque, o caso das duas vítimas foi denunciado fora do prazo de seis meses após o ocorrido do crime.

Segundo a defesa do pastor, dois outros indiciamentos da polícia foram desclassificados para supostos crimes de menor potencial ofensivo, que devem ser julgados no Juizado Especial Criminal de Aracaju.

Além disso, a defesa classificou as denúncias como ‘absurdas’.

Publicidade

Publicidade

CCJ da Câmara rejeita recurso, e cassação de Flordelis vai à plenário

Jornalista faz corrente de oração pela morte de Bolsonaro