in

Nikolas Ferreira denuncia perseguição contra igreja liderada pelo pai em BH

Nikolas Ferreira e Edésio de Oliveira - Foto: Reprodução/YouTube

O vereador de Belo Horizonte, Nikolas Ferreira, usou as redes sociais neste domingo (29/08), para denunciar um ato de perseguição religiosa praticado contra a Comunidade Evangélica Graça & Paz, de Belo Horizonte, na qual é membro.

A igreja, que é liderada pelo pastor Edésio de Oliveira, pai do parlamentar, teve que abandonar o local que é alugado. E, segundo Nikolas Ferreira, o dono do local pediu o imóvel sem qualquer explicação.

O desabafo do vereador acendeu um alerta, pois de acordo com Nikolas, o dono do imóvel é “esquerdista”, e por causa disso, teria pedido o imóvel. Para o parlamentar não há dúvidas de se tratar de um ato de perseguição religiosa.

“Nós nunca atrasamos um aluguel sequer aqui, mas a pessoa que nos alugava esse local é um esquerdista que odeia o meu trabalho e, por divergência política, simplesmente pediu o aluguel do nada. Eu me sinto na responsabilidade; afinal, a culpa é minha de todo esse trabalho estar se mobilizando para ir para outro lugar que a gente nem sabe qual”, disse Nikolas em um vídeo postado nas redes sociais.

Como a igreja teve que deixar o local de imediato, o pastor Edésio juntamente com o filho pediu a ajuda dos fiéis e dos seguidores para conseguirem um novo local, e assim, começarem tudo de novo. O religioso Edésio disse que o local onde a igreja está já foi considerado uma das favelas mais perigosas de Belo Horizonte.

“Foi aqui que Deus nos colocou para evangelizar, para cuidar de crianças, adolescentes, de jovens e adultos e fazendo com que eles tenham uma nova perspectiva da vida”, disse o pastor Edésio. Ele e o filho Nikolas Ferreira disponibilizaram contas bancárias para contribuição, veja abaixo:

Banco Itaú: ag. 3168, conta corrente 45688-1;
PIX: 03.338.536/0001-00 (CNPJ);
Banco Bradesco: ag. 486-9, conta corrente 158192-9.

Publicidade

Modelo capa da Revista Sexy largou a igreja por se sentir “pecadora”

Luciano Camargo é acusado de ‘spam’ para divulgar lançamento gospel