in

Partido de Lula funda movimento para se aproximar dos evangélicos

Luiz Inácio Lula da Silva - Foto: Reprodução/Facebook

O Partido dos Trabalhadores (PT) tenta reaproximar ainda mais do público evangélico, desde que Jair Bolsonaro se sagrou Presidente da República do Brasil, nas eleições de 2018.

Publicidade

O investimento para conquistar os cristãos será grande, ainda mais que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi liberto das condenações pelo STF, além de recuperar seus direitos políticos. Segundo o Metrópoles, a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), está liderando um núcleo específico para tratar do assunto: o ‘Evangélicos do PT’ (Nept), fundado pelo partido.

O trabalho tem sido feito no sentido de retomar o diálogo perdido com os evangélicos. O reencontro com lideranças religiosas, principalmente evangélicas, de acordo com Gilberto Carvalho, ex-chefe de gabinete de Lula, é considerado “fundamental” para a estratégia de retomada da periferia.

Publicidade

“É um front que nós consideramos extremamente importante, e temos estimulado muito o nosso pessoal, sobretudo nos estados, a fazer um contato com as igrejas. Isso está sendo feito menos nas cúpulas e mais na base, direto com pastores ou com organizadores regionais dos grupos evangélicos. A gente tem consciência de que esse diálogo é fundamental, sobretudo para o trabalho nas periferias, onde a presença evangélica é muito forte”, disse Gilberto Carvalho ao Metrópoles.

Segundo informações, o Nept já formou grupos espalhados pelo país todo para reunir militantes evangélicos e pastores simpáticos ao Partidos dos Trabalhadores, segundo a deputada petista.

“O PT dialoga com todas as religiões para ampliar cada vez mais sua representação junto ao nosso povo. Com os evangélicos, não poderia ser diferente. O Brasil evangélico tem crescido muito na área popular, e por isso nos coloca a missão de buscar cada vez mais o diálogo com as suas diversas denominações, sobretudo com a base”, disse Benedita da Silva.

Vale destacar que o público evangélico representava, em 2020, 22,2% da população brasileira. E a vasta maioria tem apoiado Jair Bolsonaro. Por essa razão, figuras importantes da sigla têm se dedicado a buscar pastores para tentar desfazer resistências e reverter a quase hegemonia de Bolsonaro dentro desse grupo.

Publicidade

Publicidade

Justin Bieber encoraja seus 193 milhões de seguidores: “Espere em Deus”

Pastor é obrigado a se casar com cadáver, após noiva morrer fazendo aborto forçado por ele