in

Pastor Guilherme de Pádua exclui perfil nas redes após anúncio de série sobre o crime

A morte de Daniella Perez, filha da escritora Glória Perez, vai virar série documental na HBO Max. O assassinato da atriz cometido por Guilherme de Pádua, hoje pastor evangélico, ganhou grande repercussão nacional na época em que aconteceu, em 1992.

Após o anúncio da produção documental, o pastor da Igreja Batista da Lagoinha, que tem 52 anos, decidiu excluir suas redes sociais que somavam mais de 40 mil seguidores. No entanto, informações dão conta que o religioso criou um perfil no Instagram – atualmente com 600 seguidores -, porém, privado à familiares e amigos, além de evangélicos.

Além disso, há pelo menos dois anos, o pastor deixou de atualizar seu canal no YouTube, com mais de 2,2 mil inscritos, no qual vinha postando vídeos sobre sua conversão. No último vídeo, postado há três meses, mostra a maquiadora Juliana Lacerda, com quem ele se casou em 2017, e que dá um depoimento sobre seu casamento e rebate críticas. “Pensei em dissuadi-la a não mexer com isto, mas já apanhei da imprensa e não quero apanhar da patroa também”, escreveu ele na descrição do vídeo.

SOBRE A SÉRIE

A plataforma de streaming anunciou nesta semana que vai produzir a série documental de cinco episódios sobre a morte de Daniella Perez, com direção de Tatiana Issa e Guto Barra, que também assina o roteiro.

Segundo a plataforma, a história do assassinato que chocou o país no início dos anos 90 será contada a partir da perspectiva da mãe Glória Perez, família além de amigos.

Daniella era atriz e bailarina e foi assassinada em 1992, aos 22 anos, pelo também ator Guilherme de Pádua, com quem contracenava na novela De Corpo e Alma, escrita por Glória.

De acordo com arquivos, ele acreditava que conseguiria ter maior participação na trama se se aproximasse de Daniella, que passou a evitá-lo. Ao mesmo tempo, seu papel foi diminuído e ele acreditou estar sendo vítima de um boicote.

Junto com a mulher, Paula Thomaz, ele planejou o crime e matou Daniella com 18 punhaladas no coração e no pescoço, num matagal da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na época, a atriz era casada com o ator Raul Gazolla. Guilherme e Paula foram presos e condenados pelo assassinato.

Atualmente, Guilherme de Pádua é casado com Juliana de Assis Lacerda, desde 2017, e mora em Minas Gerais. Além disso, virou pastor da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG).

Escrito Por

Acompanhe as nossas redes e fique sempre bem informado!

Pagamento do Auxílio Brasil começa amanhã (17); Saiba o que precisa para receber

“Sinto falta de um personagem gay”, diz filho de criador da Turma da Mônica