in

RETROSPECTIVA 2020: Os fatos que marcaram o gospel neste ano

O Portal do Trono traz a Retrospectiva 2020, com os fatos que mais deram o que falar no meio evangélico neste ano que passou. Confira em vídeo e texto:

Publicidade

1 – Cassiane e o clipe acusado de romantizar a violência doméstica:
Para começar, falamos da cantora gospel Cassiane, que, sem dúvidas, protagonizou a maior polêmica de 2020, após lançar o clipe da música “A Voz”, que foi acusado de romantizar a violência doméstica contra a mulher.

Nas imagens da produção, feita pela MK Music, uma mulher aparece sendo violentada psicologicamente e fisicamente pelo marido, mas ao invés de denunciar à polícia, o clipe mostra ela saindo de casa e indo pra igreja. Após isso, o agressor aparece no final se convertendo a Deus e a esposa voltando pra casa, sem que houvesse qualquer denúncia ou responsabilização do criminoso. Após forte repercussão negativa, a MK Music e Cassiane pediram perdão pelos erros e divulgaram uma nova versão, que mostra a personagem do clipe denunciando o agressor à polícia, através da central 180.

Publicidade

2- Davi Passamani confessa adultério
Outra polêmica foi o caso do pastor Davi Passamani, da Igreja CASA e do ministério Casa Worship, que foi afastado de suas funções após ser acusado no Twitter por uma médica veterinária de cometer assédio. Após a repercussão, o pastor veio à público e confessou que traiu a esposa, mas negou que tenha assediado a moça. Ele chegou a ser denunciado pelo Ministério Público de Goiás pelo crime de importunação, mas o juiz do caso arquivou o processo em abril.

3- Igrejas abertas na pandemia
A pandemia imposta ao mundo neste ano trouxe alguns desafios para as igrejas, que precisaram fechar suas portas para evitar aglomerações. Mas não foi esse o entendimento de alguns líderes religiosos, que preferiram manter seus templos abertos. O pastor Silas Malafaia, por exemplo, foi obrigado pela justiça do Rio de Janeiro em março a fechar seus templos no estado.

A cantora Ana Paula Valadão criticou indiretamente o pastor em suas redes sociais, afirmando que os cristãos devem obedecer as determinações de distanciamento. A cantora Eyshila, que é amiga de Ana Paula e muito próxima de Malafaia, decidiu ficar do lado do pastor, e parou de seguir a líder do Diante do Trono no Instagram, além de fazer um texto rebatendo a fala da amiga. Eyshila voltou a seguir Ana Paula tempos depois.

4- Do Gospel para o LGBTQI+
Eyshila também foi destaque após seu filho Lucas Oliveira revelar publicamente que é gay e dragqueen, o que chocou as redes sociais. Em entrevista, Lucas afirmou que Eyshila não o apoia, mas o respeita. A cantora gospel também se pronunciou, e disse que não tem poder de mudar seu filho, e o que pode fazer é amá-lo.

Publicidade

E esse não foi o único caso LGBT no meio gospel que chamou a atenção: o cantor Jotta A, revelado pelo programa Raul Gil e que fez muito sucesso na música evangélica, anunciou em suas redes sociais que é bissexual, e que estava deixando o cenário gospel para investir na música na qual ele acredita.

5- Ana Paula Valadão e o irmão André acusados de homofobia
O meio LGBT+ esteve presente também protestando contra falas consideradas homofóbicas pelos irmãos Ana Paula e André Valadão. Ana Paula está na mira do Ministério Público Federal, depois que um vídeo de 2016 do Congresso Diante do Trono começou a circular nas redes sociais, no qual ela diz que a homossexualidade não é normal e que a AIDS é uma doença que Deus enviou ao mundo para castigar gays.

Já André Valadão, respondendo à pergunta de um seguidor em suas redes, disse que a igreja não é um lugar para o público LGBT, e que essas pessoas deveriam procurar clubes gays para frequentar. As falas de ambos culminaram em representações junto ao Ministério Público, que investiga suposta homo/transfobia, tipificada como crime pelo Supremo Tribunal Federal.

6- Flordelis, Crivella e Pastor Everaldo na mira da justiça
Parece que a justiça veio para ficar no meio evangélico. A deputada evangélica Flordelis que o diga! Ela está usando tornozeleira eletrônica após ser denunciada pelo Ministério Público do Rio como sendo a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, morto em 2019. Filhos e netas da parlamentar foram presos, e ela só segue em liberdade por causa da imunidade que tem por ser parlamentar. O júri que definirá a condenação ou não de Flordelis ficará para 2021.

E ela não foi a única que recebeu a visita da polícia: o Pastor Everaldo, líder do PSC, e o então prefeito do Rio, derrotado nas eleições deste ano, o bispo licenciado Marcelo Crivella, foram presos em operações distintas que investigam a corrupção no estado e na cidade do Rio de Janeiro.

Pastor Everaldo é acusado de desvios no governo de Wilson Witzel, e segue preso. Marcelo Crivella é apontado como chefe de uma organização que desviava milhões em contratos da prefeitura carioca. Ele chegou a ser detido mas foi colocado em prisão domiciliar por decisão do Superior Tribunal de Justiça.

E estas foram só algumas das principais manchetes que sacudiram o meio evangélico em 2020. Algumas devem expandir seus desfechos para 2021, e estaremos aqui para trazer todas as informações em tempo real, com seriedade e profissionalismo. Obrigado pela audiência e feliz ano novo! Estamos juntos em 2021!

Publicidade

STJ autoriza e Crivella deixa prisão domiciliar para ir ao enterro da mãe

Governo fracassa em compra de seringas e proíbe exportação do material