in

Malafaia é denunciado por crime eleitoral ao dizer que “corruptos não voltarão ao poder”

Pastor Silas Malafaia - Foto: ADVEC

O pastor da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia, publicou um vídeo nesta quinta-feira (22/07), dizendo que foi denunciado por crime eleitoral pela Procuradoria Geral Eleitoral (PGE). Segundo o presidente da ADVEC, a representação contra ele foi baseada em um discurso que fez contra a corrupção em junho.

Publicidade

Silas Malafaia foi convidado para estar em um evento em 18 de junho, em Marabá, no Pará, juntamente com o presidente Jair Bolsonaro, que participou da entrega de títulos de propriedade rural no estado. Na ocasião, o religioso fez um pronunciamento criticando os corruptos. Além disso, disse que “eles não voltarão mais ao poder”.

“Eu quero declarar que corrupto, bandido que saqueou este país, não vai mais enganar o povo não”, disse Malafaia. “Saquearam o país, a saúde, roubaram bilhões, esses são os verdadeiros genocidas”, disse ele em Marabá.

Publicidade

Segundo o vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, responsável pela representação contra Malafaia, a fala se referia ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Diante disso, Silas foi acusado de crime eleitoral e agora responderá pelo suposto crime no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Até agora, eu estou em dúvida: eu não sei se ele está chamando Lula de ladrão ou se ele está defendendo o Lula. (…) Hora nenhuma eu cito o nome do ex-presidente Lula [no discurso]’, disse Silas no vídeo publicado nesta quinta. “É proibido falar, nesse país, que corruptos não vão mais voltar? (…) Eu digo isso em vários vídeos”, falou. Assista abaixo:

Publicidade

Publicidade

Netflix divulga trailer da série documental sobre João de Deus

Conheça os novos participantes do reality cristão ‘O Retiro Tiktokers’