in

Supremo forma maioria para arquivar investigação de cheques a Michelle Bolsonaro

Primeira-dama Michelle Bolsonaro - Foto: Reprodução

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para arquivar o pedido de investigação sobre os cheques depositados pelo ex-assessor Fabrício Queiroz à primeira-dama Michelle Bolsonaro. Até o momento seis ministros, de onze, votaram a favor do arquivamento.

Publicidade

Segundo a denúncia, foram depositados por Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, 21 cheques totalizando R$ 72 mil entre 2011 e 2016 na conta da primeira-dama. Mediante essa informação, foi enviado uma notícia-crime enviada ao STF pelo advogado Ricardo Bretanha Schmidt.

Além disso, outros cheques em nome da esposa de Queiroz, Márcia Aguiar, também foram detectados, ao todo, 27 repasses, somando R$ 89 mil.

Publicidade

Em maio deste ano, o relator da ação, ministro Marco Aurélio Mello, acompanhou o parecer da PGR e decidiu arquivar a ação. No entanto, o advogado recorreu e Marco Aurélio levou o caso para ser decidido em plenário.

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Rosa Weber acompanharam o voto do relator Marco Aurélio. O julgamento, que começou no dia 25 de junho, ocorre no plenário virtual e o término da votação está previsto para o dia 2 de agosto, fim do recesso judiciário.

Michelle Bolsonaro apareceu na investigação das rachadinhas pela primeira vez no final de 2018. Na época, um relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou as movimentações suspeitas na conta do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e listou parte dos depósitos para Michelle Bolsonaro.

Ao todo, foram pelo menos 27 repasses, entre 2011 e 2016.

Publicidade

Publicidade

Priscilla Alcantara recebe resposta hilária do vereador Nikolas Ferreira

Pastor e músico da FAB leva fé e esperança a pacientes e profissionais