in

Burger King usa crianças em campanha LGBT e revolta a web

Comercial do Burger King - Reprodução/YouTube

Uma das maiores redes de fest food do mundo, Burger King, lançou uma campanha publicitária para comemorar o Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+. Mas, virou alvo de ataques nas redes sociais e foi parar nos trending topics nesta sexta-feira (25), isso porque, a empresa usou crianças para promover a ideologia de gênero.

A empresa quis mostrar, através do olhar das crianças, temas como amor e pluralidade para combater o preconceito dos adultos quanto à inclusão social daquela comunidade.

Mas, a campanha foi duramente criticada, porque não trouxe profissionais dando dicas de como tratar o assunto com os pequenos, já que foi intitulada “Como explicar?”. No lugar dos adultos, a empresa mostrou a perspectiva infantil quanto ao assunto.

O filme de 1:20 minutos começa com a pergunta: “Não sabe como explicar LGBTQAI+ para crianças?”, em seguida, surgem crianças e jovens que foram convidados a darem sua opinião sobre o tema.

Eles disseram frases editadas e montadas de forma que a fala seguinte complementa a anterior como “para mim todo mundo pode amar todo mundo”, “eu acho que pode se casar com homem, pode se casar com mulher”, “a criança pode viver o mundo de outro jeito” e “ponto final”.

A diretora da empresa no Brasil, Juliana Cury, disse que as perguntas foram feitas por profissionais e as respostas foram “completamente espontâneas”.

“Ao longo de todo o filme, os protagonistas da campanha compartilham a sua visão real sobre a diversidade, sempre acompanhados por seus responsáveis. As perguntas foram feitas por profissionais e as respostas são completamente espontâneas, por meio de uma gravação sem roteiro”, afirma Juliana.

O Burger King, em nota, convidou a todos a “repensarem a forma como a diversidade é abordada dentro da sociedade”.

CRÍTICAS

O vídeo logo viralizou na web e boa parte dos internautas não gostaram da empresa usar crianças na peça publicitária. Muitos afirmaram que os pequeninos disseram frases editadas e montadas pela Burger King e que elas não tinham entendimento sobre o assunto a ponto de explicar a diversificação de gêneros que a ideologia LGBT propõe.

Além disso, o Burger King foi bastante criticado porque usou imagens de crianças sendo que a empresa produz alimentos não recomendáveis para elas.

O vídeo, postado pela marca na última quarta-feira (23), no canal do YouTube do Burger King, já foi visto mais de 3,3 milhões de vezes. No entanto, teve mais de 55 mil dislikes até o momento.

Victor Alves, vencedor do The Voice Brasil, sofre acidente no Rio

Evangélicos criticam Burger King e promovem boicote à marca