in

Cantor gospel é indiciado por dar calote de R$ 300 mil na Gucci, Prada e Burberry

Cantor gospel André Luís dos Santos Pereira - Foto: Reprodução/Instagram

O cantor gospel André Luís dos Santos Pereira foi indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal por associação criminosa e estelionato. Isso porque, ele teria dado calote em três lojas. A informação foi publicada inicialmente pelo portal Metrópoles.

As lojas pertencem a uma das maiores e mais caras grifes do mundo, são elas: a inglesa Burberry e as italianas Prada e Gucci.

Segundo investigadores da 5ª Delegacia de Polícia, o cantor, que tem 35 anos, deixou um rastro de prejuízo que se aproxima de R$ 300 mil. E segundo a polícia, se refere a peças de roupas e acessórios de alto padrão, como ternos, camisas sociais, sapatos, cintos e calças.

Segundo a reportagem, o cantor, que tinha 265 mil seguidores nas redes sociais, costumava fazer apresentações em transmissões ao vivo, igrejas evangélicas e programas de TV, também era blogueiro. Além disso, segundo os investigadores, ele contava com a ajuda de dois comparsas, que também foram indiciados pela polícia. Após o caso viralizar na mídia, o cantor desativou as redes sociais.

André Luís utilizava uma sala comercial em um prédio corporativo na área central de Brasília (DF), assim, para passar credibilidade e assim aplicar os golpes. Representantes das grifes recebiam ligações feitas pelos outros indiciados: Carlos Roberto Saraiva Júnior, mais conhecido como pastor Juninho, e Tiago Barbosa de Miranda. O trio sempre solicitava atendimento personalizado no suposto escritório do artista gospel gospel.

De acordo com a polícia, em 6 de setembro deste ano, o trio entrou em contato com um vendedor da Prada e comprou R$ 151.373,11 em várias peças de roupa. Dois dias depois, os golpistas fecharam negócio com um vendedor da Gucci no valor de R$ 124,3 mil, que seria referente a calças, camisas e alguns acessórios.

Nos dois casos, André simulava telefonar para um suposto assessor pedindo que uma transferência bancária fosse feita para a conta da loja. Segundos depois, um dos comparsas mostrava ao representante da loja um suposto comprovante de pagamento, que, na verdade, nunca havia sido feito.

A loja Burberry teve um prejuízo de R$ 72 mil no mesmo esquema liderado pelo cantor gospel. Representantes dos estabelecimentos de luxo entraram em contato com os golpistas, que sempre apresentavam várias desculpas para justificar a inadimplência.

Em suas redes sociais André reforçava uma imagem religiosa envolvida com obras de caridade. Além disso, o cantor evangélico tem uma série de passagens criminais por uso de documento falso, estelionato e fraude. Os outros dois comparsas do artista também respondem por crimes graves, como homicídio qualificado e culposo.

Escrito Por

Jornalista do Portal do Trono nascido em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Admirador da Rádio, TV e Internet. Contato: (31) 99583-5239.

Silas Malafaia chama Renan Calheiros de “frouxo” após ficar fora do relatório da CPI

Vídeo: Pastor morre após sofrer AVC durante culto