in

Homem que matou cantora gospel e enteado tinha surtos psicóticos, diz polícia

Vany Magalhães e Elizeu de Castro Silva - Foto: Reprodução

A morte brutal da cantora gospel Vany Magalhães e de seu filho de 8 anos em Piraquara, na Grande Curitiba, chocou os moradores da cidade e região.

Publicidade

Vany e o filho foram assassinados a facadas dentro de casa, na madrugada desta quarta-feira (01/09). Segundo a polícia, o principal suspeito é Elizeu de Castro da Silva, marido de Vany e padrasto do garoto.

Ainda segundo os investigadores, Elizeu teria surtos psicóticos e seria dependente químico. Para a família, os dois eram um casal normal, que sempre se mostravam felizes. O homem fugiu após o crime e ainda não foi localizado pela Polícia.

Publicidade

“O que a gente sabe é que o rapaz tinha surtos psicóticos e era dependente químico. Então, estamos caminhando com essa possibilidade, de um desentendimento, aliado a uma dependência química”, disse o investigador Sérgio Klaar de Piraquara ao site Banda B.

“Estamos em diligência para localizar o suspeito. Ele está em local incerto e não sabido. Até o momento, as maiores evidência é de que ele que cometeu o crime. Ele é suspeito ainda, não está apontado como homicida. Estamos na busca dele. Hoje serão ouvidos os familiares e vizinhos”, completou ele.

A filha do casal, de 2 anos, estava na casa e foi encontrada por familiares junto com os corpos. Ainda de acordo com a polícia, a menina teria ficado trancada dentro da casa até o final da tarde, quando um parente próximo passou na residência e estranhou a falta de movimentação.

“Ele foi ver o que estava acontecendo e acabou encontrando a criança aos prantos dentro da casa. Depois acionou as polícias”, disse Sérgio.

Publicidade

Publicidade

Escrito Por

Jornalista do Portal do Trono nascido em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Admirador da Rádio, TV e Internet. Contato: (31) 99583-5239.

Pregador e esposa são ofendidos por causa da cor da pele de recém-nascido

TV Globo vai demitir funcionários que se recusarem a tomar vacina anti-covid