in

Imposição da agenda LGBT é a marca da besta, alerta pastor

Pastor Rodrigo Mocellin - Foto: Reprodução/Facebook

Uma postagem no Twitter de um pastor de São Paulo está viralizando na internet após ele comparar a sigla LGBT” com a marca da besta, descrita no livro de Apocalipse. A declaração do religioso veio após a polêmica envolvendo o jogador Maurício Souza, que foi demitido por homofobia, depois de criticar um personagem bissexual de um desenho em quadrinhos.

De acordo com o pastor Rodrigo Mocellin, líder na Igreja Resgatar Guaratinguetá, na região do Vale do Paraíba, a imposição da agenda LGBT representa a marca da besta, que entre outras palavras, será o poder político-religioso que dominará o mundo.

“A marca da besta é esta: LGBT. Se não aceitá-la, você sofrerá sanções financeiras. O jogador Maurício Souza rejeitou a marca e foi despedido”, disse ele.

O religioso disse ainda que sempre existe a polêmica em torno do número 666, de Apocalipse, mas que a interpretação é simples, que diz respeito ao medo de perder dinheiro ao recusar negar sua fé.

“Sempre existe a polêmica sobre o famoso 666 de Apocalipse. Lá se diz que aquele que rejeitar a marca não poderá comprar ou vender. Ora, a interpretação é simples: todo aquele que por medo de perder dinheiro aceita negar sua fé e seus valores já está marcado. O número da besta já está em circulação faz tempo, e tem muita gente marcada”, afirmou Rodrigo Mocellin.

Escrito Por

Acompanhe as nossas redes e fique sempre bem informado!

Funerária que adiou sepultamento de pastor da ressurreição não será punida

Após 20 anos, pastor Luís Gonçalves deixa a Igreja Adventista do Sétimo Dia